Oesa é a maior distribuidora do Estado

Divulgação

Jaraguá do Sul – A OESA Distribuidora de Alimentos, com mais de 20 anos de mercado, acaba de ser reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, como a maior distribuidora de Santa Catarina e está entre as 32 maiores do Brasil.

São mais de 250 funcionários e um leque de produtos alimentícios com mais de 700 itens em linha, entre eles: carne bovina, aves, aves exóticas, ovinos, suínos, pescados, industrializados e embutidos de carne e derivados, conservas, molhos, temperos, sobremesas, azeites e óleos vegetais, laticínios, batata pré frita, frutas e vegetais congelados entre outros.

Para diretor da Oesa, Alcir Vidau Oldenburg receber este reconhecimento motiva e simboliza o resultado de muito trabalho. “Além de muito trabalho e foco, é um conjunto de fatos voltados para o atendimento ao cliente, levando produtos de qualidade com preço competitivo, pessoas comprometidas e atenciosas, tentando identificar o melhor produto para cada cliente”, pontua.

A distribuidora trabalha alinhada às novidades do mercado “buscamos nos diferenciar, 30% dos produtos que comercializamos são oriundos de importação, trabalhamos com mais de 15 países”, explica Oldenburg.

Para os próximos anos a empresa prevê investimentos para a filial localizada no Paraná e também um incremento no crescimento de aproximadamente 20%, ainda no faturamento de 2013. “Nossa meta é a melhoria continua, sempre visando a maior competitividade do mercado”, finaliza o diretor.

 

Apoio

O governo anunciou hoje (4), junto com o Plano Agrícola e Pecuário 2013/2014, que vai disponibilizar R$ 25 bilhões para a construção de armazéns privados nos próximos cinco anos. O objetivo é solucionar o déficit que o país tem em quantidade de silos para armazenagem de grãos e evitar prejuízos causados pelos gargalos no escoamento da produção. O prazo para pagamento do empréstimo será até 15 anos, com juros de 3,5% ao ano.

 

Recalculo dos benefícios

Os aposentados que voltarem a trabalhar e continuarem contribuindo ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) podem pedir o recálculo do valor do benefício da aposentadoria, sem ter de devolver à Previdência o montante recebido até então. Essa foi a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em processos julgados recentemente.

O Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos (Sindnapi) estima que cerca de 40% dos aposentados ainda trabalhem e tenham o benefício passível de recálculo. Essa possibilidade chama-se desaposentadoria. Ela leva em consideração os valores pagos pelo beneficiário posteriormente ao momento da aposentadoria. Com a inclusão desses novos pagamentos, o valor total a ser recebido pode aumentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>